Alma Alentejana

Entre Chocalhos e Bonecos

Foi sob o tema “Alentejo, Património Imaterial da Humanidade” que desenhámos o programa de Réveillon 2018/2019. Uma homenagem ao património, às gentes desta terra, à sua obra e dedicação ao Alentejo.

Os chocalhos Pardalinho e os Bonecos de Estremoz, ambos classificados património imaterial da humanidade pela Unesco, foram as personagens principais deste elenco. Trata-se de duas artes quase em vias de extinção, devido à falta atual de recursos existentes que assegurem a continuidade de tão nobres artes.

A Arte de fazer chocalhos resulta do encontro milenar entre as antigas “artes do fogo” (a dos caldeireiros e a dos ferreiros) com a arte musical; cada chocalho é o produto de um trabalho manual de moldar uma chapa de ferro, do seu caldeamento em cobre através da passagem pelo forno e da sua afinação.

Já os Bonecos de Estremoz, mais conhecidos por “Irmãs Flores” (estamos a falar de duas irmãs, Maria Inácia e Perpétua Flores), consiste na modelação de uma figura em barro cozido, policromado e efetuada manualmente, segundo uma técnica, com origem pelo menos no século XVII. Esta arte, a que se dedicam vários artesãos do concelho, são compostos por mais de uma centena de figuras diferentes inventariadas.

E assim procuramos enaltecer o património do Alentejo, crendo e ansiando por uma espécie de milagre que permita perpetuar o trabalho que além de apresentar uma beleza única, tem na sua génese caraterísticas como a perseverança, minuciosidade e um enorme amor pela arte.

Se ainda não conhece, aconselhamos uma visita a ambos estes espaços:

Chocalhos Pardalinho – Alcáçovas – T: 266 954 427

Bonecos de Estremoz – Irmãs Flores – Estremoz – T: 268 324 239

 

Comentar

Deixe a sua opinião